Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência Social no Estado do Piauí - SINTSPREVS/PI
Teresina, 19 de maio de 2019
20/02/2019 - 04:00

CUT e Sindicatos vão as ruas repudiarem reforma da previdência. Governo propõe aumentar idade, tempo de contribuição e capitalizar a previdência.
A Central Unica dos Trabalhadores, Sintsprevs-PI, Sindserm, Sinte, Sinsepi, Sindcom e outras entidades sindicais realizaram, nesta quarta-feira (20), em frente ao prédio do INSS central, em Teresina, a Assembleia Nacional da Classe Trabalhadora. Este foi o primeiro grande ato unitário de 2019 que faz parte do calendário de ações contra a reforma da previdência. A atividade ocorre no mesmo dia que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) protocolou sua proposta de desmonte da Previdência Social no Congresso Nacional. A assembleia em Teresina, também acontece atos em várias cidades no país. Cerca de 400 pessoas estiveram presentes. Na opinião do presidente da CUT-PI, Paulo Oliveira, este será o primeiro passo na jornada nacional de luta contra a reforma da Previdência da dupla Bolsonaro/Guedes. “Nosso objetivo é barrar essa reforma que não traz saldo positivo para ninguém. A aposentadoria é importante e necessária para o trabalhador. Nós repudiamos essa proposta custe o que custar', reforçou. Repúdio à proposta O presidente do Sintsprevs-PI, Antônio Machado, afirma que a reforma do governo aumenta a contribuição dos servidores públicos para o INSS, que hoje é de 11% e sobe para 14%. "Outra peversidade é a capitalização, onde os principais beneficiados serão os bancos privados, que passarão a administrar a previdência dos trabalhadores. Vamos resistir e derrotar a proposta do governo, tal qual fizemos no governo Temer". Para o Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Federal no Estado (Sinsepi) o modelo de reforma da Previdência de Bolsonaro é ainda pior que a proposta apresentada pelo governo Temer. “Essa reforma é muito pior que a do ex-presidente. Eles estão aumentando mais 5 anos para homens e mais 7 para as mulheres se aposentarem e ainda querem acabar com os direitos dos trabalhadores rurais na aposentadoria. O rombo da previdência alegado por eles está no que as grandes empresas privadas devem", destacou o diretor do Sinsepi, Waldemar Higino. Já o dirigente do Sindicato dos Empregados no Comercio e Serviço de Teresina (Simdcom), Jesivan Rabelo, os trabalhadores do comércio e do setor privados serão os mais prejudicados. “O comerciário com 65 anos numa loja não tem mais uma habilidade para poder se aposentar e, se conseguir, será com uma renda menor de um salário mínimo. Quando o trabalhador beira seus 55 anos o comércio rejeita aquele trabalhador por considerar ultrapassado”, justificou.



últimas notícias:

17/05 | Greve Nacional da Educação fortalece ofensiva contra governo Bolsonaro
14/05 | Reforma da Previdência corta direitos de quem tá aposentado
13/05 | Sintsprevs apoia Greve Nacional da Educação de 15 de Maio
09/05 | Bolsonaro extingue 55 conselhos que tinham participação da sociedade
03/05 | TRABALHADORES ALEMÃES VISITAM SINTSPREVS-PI
02/05 | Centrais convocam Greve Geral no país para 14 de junho. Protesto será para pressionar Congresso a votar contra a reforma da previdência.
26/04 | 1º de Maio: Trabalhadores farão ato de protesto em Teresina
25/04 | Previdência: Bolsonaro mente ao dizer que pobres pagarão menos
16/04 | Governo acaba Política de Valorização do Salário Mínimo
11/04 | Sintsprevs participa de atividades do Dia Mundial da Saúde
05/04 | No Piauí, 40 médicos desistem do Programa Mais Médicos
05/04 | Reforma da Previdência: cinco pontos que atingem os pobres: Tempo de Contribuição, Idade Mínima, Aposentadorias Rurais, BPC, Pensões.
29/03 | Sinsprevs-PI ganha liminar contra MP 873 que inviabiliza entidades
29/03 | Reforma da previdência reduz valor da aposentadoria por idade
24/03 | Centrais e Sindicatos protestam contra reforma da previdência em Teresina
21/03 | Sintsprevs-PI mobiliza para Dia de Luta - 22/03 - contra reforma
15/03 | Seminário vai debater dívida pública e reforma previdência
15/03 |
14/03 | Servidores pressionam Congresso contra reforma da previdência
08/03 | Sintsprevs-PI condena MP 873 que inviabiliza contribuições
CONTATOS
  • SINTSPREVS-PI
    Rua Desembargador Freitas, 879, Centro
    Cep: 64.000-240
    Tel: (86) 3223-3988
    sintsprevs@bol.com.br