Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência Social no Estado do Piauí - SINTSPREVS/PI
Teresina, 23 de julho de 2019
29/03/2019 - 08:37

Reforma da previdência reduz valor da aposentadoria por idade
Na reforma da Previdência, quem está próximo de completar os requisitos para se aposentar por idade entrará em uma regra de transição que deixa o valor do benefício menor do que as regras atuais. Hoje, na hora de calcular a média salarial, o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) descarta os menores salários de contribuição. A proposta do governo é considerar todas as contribuições, portanto, essa média acaba ficando menor do que a atual. Veja qual seria a perda na aposentadoria Um trabalhador de 65 anos de idade, com 20 anos de contribuição e com média salarial de R$ 2.240,90 receberia hoje 90% da média, e sua aposentadoria seria de R$ 2.016,81. Com a reforma, a média salarial desse mesmo trabalhador cairia para R$ 1.899,41. Ele receberia 60% da média, e a aposentadoria seria de R$ 1.139,65, uma diferença de R$ 877,16. Os cálculos foram elaborados pelo Ieprev (Instituto de Estudos Previdenciários). Para ter 100%, reforma exige 40 anos de contribuição  Além dessa diferença na média, a proposta muda a regra de cálculo da aposentadoria. Quem hoje tem 15 anos de contribuição, que é o tempo mínimo exigido na aposentadoria por idade, ganha 85% da média salarial. Se tiver 20 anos de pagamentos, terá 90% da média. Com 30 anos de contribuição, é possível receber 100%. e a reforma da Previdência passar no Congresso como está, quem entrar na regra de transição ganhará 60% da média se tiver entre 15 e 20 anos de contribuição. Para atingir 100% da média salarial, será preciso contribuir por 40 anos. Quem começa a trabalhar cedo é prejudicado "Muitas pessoas começam a trabalhar cedo, sem vínculo oficial. Por isso, quando elas vão se aposentar, acabam pedindo a aposentadoria por idade. Essas pessoas vão ser punidas", disse a advogada previdenciária Marta Gueller. Só não sentiriam uma mudança significativa no valor do benefício aqueles segurados que sempre ganharam pouco ou sempre contribuíram pelo salário mínimo. Mesmo que a média salarial fique baixa, o valor do benefício sobe para o salário mínimo. Com informações do Uol   



últimas notícias:

14/07 | Aposentadorias: texto aprovado pela Câmara em 1º turno
12/07 | Centrais e Sindicatos vão pressionar senadores em defesa das aposentadorias
11/07 | Reforma aprovada na Câmara destrói sistema solidário e aumenta a desigualdade
05/07 | TCU condena ex-gerente do INSS - PI e pregoeiro por direcionar licitação
05/07 | INSS precisa de 16 mil novos servidores e governo recusa concurso
05/07 | Comissão da Câmara aprova relatório da reforma da Previdência
28/06 | Ibope: 51% do povo não confia em Bolsonaro e 48% desaprova
19/06 | The Intercept revela que Moro era contra investigar FHC
14/06 | Greve Geral de 14 de Junho parou transportes coletivos, escolas, comércio e bancos em Teresina-PI
10/06 | Intercept Brasil revela trama de juiz e procuradores contra Lula
07/06 | STF vai julgar proposta do governo que reduz salários de servidores
06/06 | 8ª Conferência de Saúde do PI debate democracia e saúde
06/06 | CUT-PI e sindicatos planejam Greve Geral do dia 14 de Junho
31/05 | Estudantes vão as ruas de novo em protesto contra cortes na educação. Em Teresina, professores e trabalhadores também participaram da manifestação.
24/05 | Fenasps orienta que sindicatos mobilizem para Greve Geral em 14 de Junho
21/05 | Sintsprevs presente em ações contra dengue em Belém do PI
17/05 | Greve Nacional da Educação fortalece ofensiva contra governo Bolsonaro
14/05 | Reforma da Previdência corta direitos de quem tá aposentado
13/05 | Sintsprevs apoia Greve Nacional da Educação de 15 de Maio
09/05 | Bolsonaro extingue 55 conselhos que tinham participação da sociedade
CONTATOS
  • SINTSPREVS-PI
    Rua Desembargador Freitas, 879, Centro
    Cep: 64.000-240
    Tel: (86) 3223-3988
    sintsprevs@bol.com.br