IMG-LOGO
Início Notícia Fenasps protesta e cobra negociação na posse do novo presidente do INSS

Fenasps protesta e cobra negociação na posse do novo presidente do INSS

IMG

Representantes do Comando Nacional de Greve (CNG) da Fenasps fizeram um ato durante a posse do novo presidente do INSS, Guilherme Serrano, nessa terça-feira, 12 de abril, em Brasília. Os servidores em greve cobraram atendimento da pauta de reivindicações da categoria e, embora tenham sido recebidos por Serrano na segunda-feira, 11 de abril, a negociação sobre a greve não avançou. Participaram do ato representantes do CNG/Fenasps dos estados da BA, PR, RJ, SC, SP e do Distrito Federal, que cobraram do recém-empossado presidente da autarquia a instalação de uma mesa de negociação em que sejam debatidas as reivindicações dos servidores e servidoras do Seguro Social. Serrano recebeu o ofício das mãos dos representantes do CNG. SAÍDA PELOS FUNDOS O ministro do Trabalho e Previdência, José Carlos de Oliveira, também estava presente na solenidade de posse dessa terça, 12 de abril, e foi procurado pelos representantes do CNG/Fenasps para que recebesse o mesmo ofício entregue ao presidente do INSS, e que se comprometesse a agendar uma reunião com a Fenasps para negociação da greve. Porém, de forma inesperada, o ministro evitou os trabalhadores(as) e se dirigiu apressadamente a uma porta lateral do auditório do INSS, por onde saiu. Enquanto fechava a porta ‘na cara’ dos trabalhadores(as), o ministro do Trabalho e Previdência ouviu gritos de “fujão”, “negocia a greve”, “é assim que os servidores do INSS são tratados”. A GREVE CONTINUA! A greve na base da Fenasps – carreiras do Seguro Social (INSS) e Seguridade Social (Previdência, Saúde e Trabalho – CPST) chegou ao seu 21º dia nessa terça-feira, 12 de abril. A avaliação do CNG/Fenasps é que enquanto não houver efetiva negociação com o governo, os trabalhadores(as) devem permanecer em greve para pressionar os gestores a estabelecer um diálogo para atendimento das demandas da categoria. Em resumo, é como o lema cantado de norte a sul do país: “não tem história, é greve até a vitória!” O caminho das conquistas será o fortalecimento da greve! Juntos e juntas somos mais fortes!